Começou quando éramos ainda crianças.



Era 24/06/2005. Quando ainda não sabíamos o que seria de nossas vidas. Quando nossas preocupações não passavam das notas da escola.

Continuou. Passou dessa fase.
Entrou na fase em que o vestibular nos preocupava. A vida adulta batia na porta e pedia licença.

Um pouco depois a vida percebeu que estávamos deixando de crescer porque estávamos no relacionamento como duas crianças. Aí ela nos impôs um distanciamento.

Por um tempo fomos duas vidas estranhas. Era complexo pensar que depois de tanto tempo juntos (porque pra 2 adolescentes quase adultos o tempo que tivemos juntos era mesmo gigante!) seria possível viver separados.

Tínhamos que viver esse período.
Conhecemos outras pessoas, outras experiências e crescemos.

Dessa vez o crescimento foi um salto de maturidade.
Foram quase 2 anos separados (ou mais ou menos.. com encontros esporádicos talvez..rs). Conto esse tempo como parte do relacionamento por motivos de: separados continuamos aprendendo e nos tornamos melhores pra viver o que viria a seguir.

E como mágica, recomeçamos.
Adultos, maduros e certos de que era o caminho certo, embarcamos no que seria a maior aventura das nossas vidas: viver o amor que era pra ser vivido.

Pronto. Estávamos certos.
Casamos, nos tornamos uma família novinha em folha. Criamos uma lista de sonhos nossos. Estamos vivendo um deles nesse momento (estou escrevendo sentada do seu lado, na praia que fica no final da nossa rua, em San Diego). Não posso julgar as pessoas que não entendem ou não nos entenderam desde o início. Não posso questionar as pessoas que duvidam do amor que é pra sempre ou que insistem em dizer que paixão e respeito só existem no começo de uma relação.

Não discuto com quem diz que a felicidade de um casal postada na internet ou apenas vivida não passa de fantasia e que entre quatro paredes é outra realidade.

Viver um amor, uma família e um casamento nunca foi difícil pra mim (acho que pra nós). Respeitamos nossas vontades, nossas limitações e nossos medos ao mesmo tempo em que nos desafiamos a ser melhores, provocamos nossos instintos e puxamos um ao outro quando o medo aperta. 

Ao invés de tentar provar que esse nosso amor intenso só tem aumentado nos últimos 13 anos, agora eu me limito a incluir os céticos nas minhas orações e pedir para que eles todos tenham a linda oportunidade de viver um amor como o nosso nessa vida. 
Nem todos viverão. Nem todos acreditarão. Nem todos se abrirão pra receber um amor como esse.
Mas o importante é que nós nascemos pra isso.
Na arte de amar, respeitar e aproveitar a vida ao lado da alma gêmea nós somos peritos!

Te amo.

Obrigada por estar nessa aventura chamada vida comigo.
Por ser parceiro, por ser amigo e por ser marido.
Por me dar motivos diários de gratidão.
Ora penso ser sorte. Ora penso ser merecimento.
Mas em qualquer dos casos, tenho a plena certeza de ser o tal do Universo nos presenteando todos os dias com o que mais acreditamos: com o AMOR.

Publicado por:Free2BeBlog

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.